HomeAMPRO

Promotores discutem regularização nas escolas que ainda não possuem projetos contra incêndio e pânico

Na ocasião, foi discutida a regularização da situação das escolas públicas (Foto: Reprodução/MPRO) Promotores de justiça do Ministério Público

MBA USP Esalq oferece desconto a associados(as) da CONAMP
Presidente da Conamp afirma que plea bargain significa modernização do processo penal sem condenação de pessoas inocentes
Ampro participa da premiação do ‘I Concurso de Redação da Ameron’ realizado no TJRO em Porto Velho

Na ocasião, foi discutida a regularização da situação das escolas públicas (Foto: Reprodução/MPRO)

Promotores de justiça do Ministério Público do Estado de Rondônia (MP-RO) estiveram reunidos recentemente juntamente com representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e do Corpo de Bombeiros. Na ocasião, foi discutida a regularização da situação das escolas públicas que foram interditadas por não possuírem o Auto de Vistoria Contra Incêndio e Pânico (AVCIP) e o Projeto Contra Incêndio e Pânico (PPCIP).

A promotora de justiça da comarca de Machadinho do Oeste Marlúcia Chianca de Morais, o promotor de justiça da comarca de Porto Velho (curadoria da educação) Marcelo Lima de Oliveira, o procurador de justiça Rodney Pereira de Paula e o diretor do Centro de Apoio Operacional da Educação (CAOP – Educação) participaram da reunião.

O Corpo de Bombeiros vem realizando vistorias nas escolas estaduais e municipais de todo o estado, por recomendação do MP-RO, em especial nas salas contêineres, para observar a conformidade do projeto contra incêndio e pânico.

Cerca de 392 escolas receberam visitas em todo o estado, sendo que 86 necessitam da Auto de Conformidade de Processo Simplificado (ACPS); 302 escolas precisam de PPCIP e 84 já possuem o projeto, segundo o Corpo de Bombeiros.

O procurador Rodney de Paula questionou a Seduc acerca do fato de terem recebido salas móveis e posto em funcionamento sem AVCIP e PPCIP, já que esse projeto deve constar na licitação, para que a empresa já entregue os contêineres com o projeto pronto. O representante da Secretaria de Educação informou que a empresa contratada foi informada e que será feito um adiantamento para que sejam feitos os ajustes necessários para a regularização das salas móveis.

Na reunião, ficou acordado que a apresentação dos laudos solicitados e aprovação pelo Corpo de Bombeiros, haverá a desinterdição das escolas e o prazo de 30 dias para regularizar as demais questões (extintores e luzes de emergência). Ao fim do prazo, será feita uma nova inspeção pelo órgão.

De acordo com a promotora Marlúcia Chianca, em Machadinho do Oeste há cerca de 52 contêineres funcionando com salas móveis. Todas as escolas do município foram vistoriadas a pedido da promotoria local, sendo constatadas algumas irregularidades que devem ser sanadas com urgência, porém, nenhuma chegou a ser interditada.

O estado apresentará um decreto, sugerido pelo promotor Marcelo Lima, com a anuência da Procuradoria-Geral de Justiça do MP-RO, a fim de regulamentar o processo de regularização das escolas em relação ao atendimento de todas as orientações técnicas do Corpo de Bombeiros para a prevenção de incêndio e pânico.