Promotora de Justiça Emilia Oiye emite notificação ao município de Porto Velho para a regularização de plantões nas UPAs

HomeAMPRO

Promotora de Justiça Emilia Oiye emite notificação ao município de Porto Velho para a regularização de plantões nas UPAs

A promotora de Justiça Emilia Oiye, da 12ª Promotoria de Defesa da Saúde, expediu recomendação ao prefeito de Porto Velho e à Secretaria Municipal de

Essential Details For Datingstudio review For 2019
Ampro participa da última sessão de 2018 do Conselho Deliberativo da Conamp
MPRO presta orientações jurídicas no Dia da Pessoa Idosa

A promotora de Justiça Emilia Oiye, da 12ª Promotoria de Defesa da Saúde, expediu recomendação ao prefeito de Porto Velho e à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), para que sejam adotadas providências imediatas para regularizar os plantões nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). A promotora recomenda escalas de quatro a cinco médicos por período, número considerado adequado pelos diversos profissionais ouvidos pela Promotoria.

Ainda foi recomendado que não seja concedida licença para tratamento de interesse pessoal ante o déficit de profissionais médicos, bem como sejam revistos todos os afastamentos deferidos e avaliadas as possibilidades de melhoria nas condições de trabalho, incentivando os profissionais a trabalharem nas unidades de urgência e emergência.

A recomendação expedida pela promotora de Justiça – considerando-se a informação de que a escala prevista para o mês de agosto, sem os médicos que solicitaram afastamento ou exoneração – demonstra a fragilidade no atendimento de urgência e emergência para os próximos dias, indicando em alguns períodos a presença de apenas um ou dois médicos para determinados plantões. Isso torna difícil a realização dos serviços de saúde e demora no atendimento dos cidadãos que procuram as unidades de urgência e emergência.

Em visita realizada no dia 31 de julho, na UPA Zona Leste, a Promotoria constatou que não estava sendo realizado o atendimento regular à população, porque estava presente apenas uma médica presente na sala vermelha, não tendo condições de realizar outras atividades, sendo então dispensados os pacientes que procuravam por consulta.