HomeAMPRO

Promotora participa de audiência pública sobre a situação dos imigrantes em Rondônia

A promotora de Justiça Daniela Nicolai participou, na segunda-feira (10), da ‘Audiência Pública Sobre a Situação dos Imigrantes no Estado de Rondôni

MP empossa novo integrante do Colégio de Procuradores de Justiça
Promotores e Procuradores de Justiça aposentados do Ministério Público são homenageados
Associações do Ministério Público divulgam nota contra investigação instaurada pelo presidente do STJ

Promotora de Justiça Daniela Nocolai

A promotora de Justiça Daniela Nicolai participou, na segunda-feira (10), da ‘Audiência Pública Sobre a Situação dos Imigrantes no Estado de Rondônia’. O evento foi realizado no plenário da OABRO, em Porto Velho, com a participação de demais autoridades, ativistas de direitos humanos, haitianos e venezuelano. O objetivo foi a busca de soluções e fomento de uma política pública voltada ao atendimento dos imigrantes e refugiados que estão de trânsito ou permanentes no estado de Rondônia.

Na ocasião, os haitianos comentaram sobre a difícil situação em que se encontram. Vários depoimentos foram realizados. Em um deles, o imigrante informou que realizou trabalhos para empregadores e que não conseguiu receber o pagamento, afirmando que isso ocorre frequentemente e que não sabe como buscar seus direitos por não conhecer o funcionamento das instituições brasileiras.

Audiência contou com a participação de demais autoridades e imigrantes que estão em Rondônia

Outra queixa também foi referente à língua. Em todos os depoimentos houve o relato da dificuldade em se comunicar com os agentes públicos. Citaram a necessidade de ter intérpretes nas repartições públicas. Ainda comentaram acerca das crianças que estão na escola e que têm problemas em entender o que é passado pelos professores, por causa do idioma.

Outro haitiano citou que foi criada uma associação para auxiliá-los sobre todas essas questões, no que tange à dificuldade com a língua com a realização de aulas de português, e para orientá-los a saberem buscar seus direitos.

Um venezuelano também comentou sobre sua pretensão de revalidar seu diploma, uma vez que possui formação em engenharia na Venezuela e quer trabalhar na área aqui no Brasil. Professores falaram que a Unir realiza esse trabalho no auxílio para a revalidação.

Ao final, as autoridades presentes colocaram-se à disposição para auxiliar em todas essas questões, inclusive para a regularização da associação criada pelos haitianos e na orientação pela busca dos direitos civis e trabalhistas dos imigrantes.