HomeAMPRO

Procurador de Justiça Edmilson Fonseca fala sobre projeto ‘epilepsia e debate’

https://www.youtube.com/watch?v=BNlPC2pr2KM O procurador de Justiça Edmilson Fonseca falou sobre a atuação Ministério Público de Rondônia (MP-RO) no

CONAMP apresenta Agenda de Proteção das Mulheres à Coordenadora-geral da Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados
Associações do Ministério Público divulgam nota contra investigação instaurada pelo presidente do STJ
MPRO, TJ e DPE debatem paternidade responsável em live

O procurador de Justiça Edmilson Fonseca falou sobre a atuação Ministério Público de Rondônia (MP-RO) no projeto ‘epilepsia e debate’. A fala ocorreu em um vídeo gravado pela Associação do Ministério Público de Rondônia (Ampro) para a campanha ‘Eu Atuo’. O MP-RO é responsável pela iniciativa e atua desde 2010, com abrangência social ampla para o atendimento às pessoas com epilepsia e seus familiares.

Já em 2018, iniciou-se o programa chamado ‘epilepsia na escola’, em parceria com a Secretaria de Educação, que visa preparar a escola rondoniense de ensino médio e fundamental para atender os alunos com epilepsia.

“As pessoas que sofrem com isso acabam desistindo da escola ainda no ensino fundamental em razão do bullying que é a principal causa de evasão escolar. Então é preciso que a escola se prepare para conviver com esses alunos e acolhê-los. Eu concito a todos que se juntem nessa luta com o Ministério Público em defesa da educação para garantir o futuro de nossas crianças”, conta o promotor.

Campanha ‘Eu Atuo’
O objetivo da campanha ‘EuAtuo’ é mostrar que os promotores atuam em defesa da sociedade e que o cidadão também pode ajudar o MP a fiscalizar, denunciando irregularidades como crimes ambientais, violência doméstica e contra a mulher, abuso contra criança e adolescente, maus tratos de idosos, corrupção, e uma série de situações ilícitas.

A campanha é uma iniciativa da Ampro juntamente com o Ministério Público de Rondônia também para trazer a população para perto do órgão. A ideia é fazer com que os cidadãos façam fotos ou vídeos de flagrantes de irregularidades, publicando nas redes sociais e marcando a #EuAtuo.