Pela primeira vez, a Ouvidoria do Ministério Público de Rondônia é chefiada por duas Promotoras de Justiça

HomeAMPROUncategorized

Pela primeira vez, a Ouvidoria do Ministério Público de Rondônia é chefiada por duas Promotoras de Justiça

As Promotoras de Justiça Andréa Luciana Damacena Ferreira Engel e Joice Gushy Mota Azevedo tomaram posse, nesta sexta feira (10/12), como Ouvidora

Conselho deliberativo realiza reunião em formato híbrido: presencial e online
Probidade Administrativa é tema central de reunião de Promotores do MPRO
MP move ação contra reajuste em curso de Medicina de faculdade da Capital

As Promotoras de Justiça Andréa Luciana Damacena Ferreira Engel e Joice Gushy Mota Azevedo tomaram posse, nesta sexta feira (10/12), como Ouvidora-Geral e Ouvidora Suplente do Ministério Público de Rondônia, respectivamente, pra o biênio 2021/2023. Um fato inédito. Pela primeira vez, em quinze anos de funcionamento, a Ouvidoria será comandada por duas mulheres.

A sessão foi realizada na sala do Colégio de Procuradores de Justiça, sob a presidência do Procurador-Geral de Justiça, Ivanildo de Oliveira, de forma presencial, com as participações dos Procuradores de Justiça Rita  Maria Lima Moncks e Carlos Grott, além de outros membros que acompanharam a cerimônia de forma virtual.

No cargo de Ouvidora Suplente há quase dois anos, a Promotora de Justiça Andréa Damacena afirmou que se sentiu encorajada a concorrer ao cargo de titular da unidade levando em consideração a experiência acumulada ao longo dos anos, adquirida não só na atividade-fim, mas também nos diversos cargos administrativos ocupados.

Em seu discurso, Andréa Damacena destacou o desejo que tem por novos desafios e do gosto que tem de lidar com pessoas, já que o MP trabalha para as pessoas. A Promotora de Justiça disse que quer buscar boas práticas em MPs de outros estados, o diálogo com os colegas da capital e do interior e o aprimoramento dos serviços prestados.

De acordo com a integrante do MPRO, era chegada a hora de o cargo ser ocupado por uma mulher. “Algumas colegas e eu, recentemente, compartilhamos o sentimento de que temos uma responsabilidade enorme de honrar o legado deixado pelas mulheres que nos antecederam, persistir no presente e avançar progressivamente para construir um Ministério Público em que a representatividade e a participação femininas sejam cada vez mais equânimes e expressivas. Minha decisão em sair candidata, portanto, reverbera esse sentimento feminino coletivo. Quero, junto com as demais, contribuir ativamente para essa construção”, enfatiza.

O Presidente da Associação dos Membros do Ministério Público (AMPRO), Promotor de Justiça Everson Pini, de forma virtual, cumprimentou as duas Promotoras e lembrou da importância da Ouvidoria para o MP e principalmente para a sociedade em geral. Desejou sucesso às colegas.

O Procurador-Geral do MP, Ivanildo de Oliveira, lembrou que a Ouvidoria, criada em 2006, vem se estruturando. A resposta veio com a eleição acirrada com sete Promotoras concorrendo. Isso, segundo ele, mostra a evolução do órgão e, este ano, em especial, a força feminina em destaque.

Ainda na sua fala, o Procurador-Geral enfatizou as medidas internas que o MP vem tomando para promover a inserção das mulheres e efetivar essa igualdade e que isso deveria ser seguido por todos os Órgãos e Instituições.

Fonte: MPRO/Departamento de Comunicação Integrada