MP acompanha implementação de ações para regularizar áreas degradadas em Ouro Preto

HomeAMPROUncategorized

MP acompanha implementação de ações para regularizar áreas degradadas em Ouro Preto

O Ministério Público de Rondônia, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Ouro Preto do Oeste, discutiu na última sexta-feira (8/10) com servidore

Conamp irá sortear bolsas de estudo para o curso “Efetividade dos direitos fundamentais na era global” na Itália
Presidente do CNOMP, Héverton Aguiar participa da 1ª reunião do Fórum Nacional de Ouvidores do Sistema Único de Segurança, em Brasília (DF)
CONAMP lamenta falecimento de Federico Estrella e repudia agressão a membros do Ministério Público da América Latina

O Ministério Público de Rondônia, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Ouro Preto do Oeste, discutiu na última sexta-feira (8/10) com servidores da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) a implementação de ações para regularização ambiental das áreas degradadas naquela região.

A Promotora de Justiça Marlúcia Chianca de Morais, Curadora Ambiental, representou o MP na reunião que teve como objetivo instrumentalizar ações conjuntamente com o órgão ambiental para regularização e recuperação de áreas degradadas pelos infratores autuados junto ao Juizado Especial Criminal.
Durante a reunião, ficou estabelecido que para dar início à recomposição das áreas degradadas será necessária primeiro a aprovação preliminar do Cadastro Ambiental Rural (CAR), depois será firmado o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que é um acordo celebrado entre as partes interessadas na recuperação das áreas degradadas.
Com relação à elaboração do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRA), será feita a separação dos feitos extrajudiciais cujos infratores são pequenos produtores rurais, para depois seguir com os trabalhos necessários para a aprovação do CAR.
Além do MP, participaram da reunião o Diretor Executivo da Sedam, Hueriqui Charles Lopes Pereira; Gerente Regional da SEDAM em Ji-Paraná, Hemerson José da Silva Alvarenga; e o Coordenador de Monitoramento e Regularização Ambiental Rural – CAR, Geovani Marx Rosa.

Fonte: MPRO/Departamento de Comunicação Integrada – DCI