Ministério Público acompanha utilização do Sistema de Regulação Hospitalar no Estado

HomeAMPROUncategorized

Ministério Público acompanha utilização do Sistema de Regulação Hospitalar no Estado

O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio da Promotora de Justiça titular da 13ª Promotoria, com atribuição na área da Saúde, Emília Oi

CONAMP ingressa como amicus curiae em ação que questiona normas sobre destinação de pena pecuniária
Em recomendação, MPRO e MPF pedem que Estado reconsidere o relaxamento de medidas de enfrentamento à pandemia
Promotora Jovilhiana Orrigo Ayricke ministra palestra do MP-RO sobre a “Revelação espontânea de violência por crianças e adolescentes”

O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio da Promotora de Justiça titular da 13ª Promotoria, com atribuição na área da Saúde, Emília Oiye, participou de reunião na segunda-feira (17) na unidade de Pronto Atendimento José Adelino da Silva, com objetivo de verificar o início da utilização do Sistema SISREG para regulação hospitalar.

O Sistema integra a plataforma nacional e começou a ser utilizado em Rondônia para regulação de pacientes com indicação para Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Sistema Único de Saúde (SUS).

O SISREG foi adotado visando sanar problemas como atraso e falta de dados necessários para regulação segura dos pacientes que necessitam de leitos hospitalares. Na inserção dos pedidos para os leitos todos os registros da solicitação e a administração da demanda ficam no sistema, podendo ser consultados pelos médicos da unidade solicitante, tornando mais ágil e segura a regulação dos pacientes.

Durante a visita foi realizada breve demonstração do sistema aos médicos da unidade, para troca de experiências e esclarecimentos de dúvidas.

Além da Promotora de Justiça Emilia Oiye, estiveram presentes o Secretário-Geral do Tribunal de Contas do Estado, Marcus Cezar S. P. Filho, e representantes da Central de Regulação de Urgência e Emergência de Rondônia, da  Divisão de Urgência e Emergência da SEMUSA e da Direção da Unidade de Pronto Atendimento José Adelino da Silva.

A Promotora de Justiça destacou que “a utilização do Sistema de Regulação Hospitalar é uma forma importante de otimizar as demandas entre o médico solicitante e o profissional da saúde que faz o procedimento, com organização e transparência, podendo, inclusive, fornecer informações ao Ministério Público quando necessário “.

Fonte: MPRO/DCI – Departamento de Comunicação Integrada