Mais de 20 entidades da sociedade civil se posicionam contra PEC 5/2021; artistas e defensores de direitos civis se manifestaram em redes sociais

HomeAMPROUncategorized

Mais de 20 entidades da sociedade civil se posicionam contra PEC 5/2021; artistas e defensores de direitos civis se manifestaram em redes sociais

O avanço da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 5/2021 na Câmara dos Deputados tem mobilizado a sociedade civil, que luta contra a corrupção e def

MPRO obtém decisão favorável em ação que beneficia Escola na Vila Princesa
Promotor de Justiça de Vilhena recebe condecoração do Batalhão Ambiental pelos serviços prestados em prol do meio ambiente
Enfrentamento da Violência Doméstica é tema de reunião entre Promotores do MPRO

O avanço da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 5/2021 na Câmara dos Deputados tem mobilizado a sociedade civil, que luta contra a corrupção e defende o Estado Democrático de Direito no Brasil. Mais de 20 entidades nacionais e internacionais se manifestaram publicamente contra a proposta que altera a composição do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e atinge a independência funcional de promotores e procuradores de Justiça.

A Federación Latinoamericana de Fiscales (FLF) emitiu nota em que se diz preocupada com a PEC 05. Segundo a entidade, que representa o Ministério Público em toda a região, a proposta surgiu sob “um contexto de tensões institucionais internas, sem o necessário e profundo debate com a sociedade brasileira”.

Para a FLF, a manutenção da proposta nos atuais termos cria a “possibilidade de se produzir uma dissociação da deliberação parlamentar, a verdadeira necessidade da comunidade e a opinião crítica dos operadores do sistema institucional”.

A ONG Transparência Brasil também divulgou nota condenando a PEC 05. A entidade afirma que a proposta, com o pretexto de melhorar a fiscalização o CNMP “traz inúmeras ameaças à independência do Ministério Publico, em particular nas investigações de políticos”.

“A matéria é importante e requer cuidado e atenção aos detalhes para que o aperfeiçoamento da responsividade do Ministério Público possa ser conduzida a contento. E não houve, até o momento, uma única audiência em que quem trabalha com controle social tenha sido convidado a participar das discussões. É mister ouvir não apenas os membros dos órgãos afetados, mas a própria sociedade civil organizada, para que a reforma possa alcançar o fim desejado”, destaca a Transparência Brasil.

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) também reforçou as críticas à PEC 05. “Retirar deles [promotores e procuradores] a autonomia e a independência, tornando-os reféns de ingerências políticas, trará́ um retrocesso histórico sem precedentes e jogará por terra todas as conquistas alcançadas. Ao fim e ao cabo, a sociedade brasileira será́ a grande prejudicada”, afirma a entidade.

A Associação Brasileira de Procons (ProconsBrasil) avalia que “a PEC 05/2021 pretende alterar as normas de organização do CNMP, malferindo as garantias institucionais do Ministério Público, tanto dos Estados como da União, previstos constitucionalmente, vindo a interferir na atuação funcional do órgão e também na sua missão de defender o consumidor”.

Redes sociais
Na internet, a rejeição à PEC 05 também é ampla. Em pesquisa realizada pelo site da Câmara dos Deputados, 98% das pessoas que participaram discordam total ou na maior parte da proposta. Apenas 2% são favoráveis ao texto em tramitação na Casa.
O risco da PEC 05 fez com que diversas personalidades se manifestassem publicamente. A ativista Maria da Penha, que inspirou a principal lei de combate à violência doméstica no país, afirma que o Ministério Público cumpre papel fundamental na defesa da sociedade.

“Na luta contra a violência doméstica, por exemplo, promotores e procuradores de Justiça agem para garantir os direitos da vítima e, acima de tudo, protegê-la. (…) Um Ministério Público não independente significa não só mulheres desprotegidas, mas toda a sociedade”, afirma.

A cantora Alcione também veio a público para lutar contra a PEC 05. “O Ministério Público precisa ser soberano, o Ministério Público nos protege. Diga não à PEC 05”, disse, em consonância com outro colega de profissão, o cantor sertanejo Leonardo.

A atriz Bruna Lombardi, que atua como ativista em defesa de direitos sociais e do meio ambiente, destacou a atuação do Ministério Público em causas como os direitos das crianças, das florestas, da liberdade de expressão e dos direitos humanos. “Uma sociedade soberana, uma sociedade protegida, tem um Ministério Público forte”, afirmou.

Clique aqui para ver os vídeos de artistas contra a PEC 5/21

Clique aqui e confira a notas de posicionamento contra a PEC 5/21

 

Fonte: CONAMP