LEI MARIA DA PENHA: MPRO realiza Conferência sobre os avanços e desafios no enfrentamento à violência contra a mulher

HomeAMPRO

LEI MARIA DA PENHA: MPRO realiza Conferência sobre os avanços e desafios no enfrentamento à violência contra a mulher

Seguindo a programação do Agosto Lilás, mês de conscientização e combate à violência contra a mulher, o Ministério Público de Rondônia realizou, n

Promotora de Justiça Rafaela Barreto expede recomendação para a garantia de serviços durante greve dos servidores da saúde, em Guajará
Ministério Público acompanha utilização do Sistema de Regulação Hospitalar no Estado
Ministério Público abre edital para participação da sociedade no Fundo de Reconstituição de Bens Lesados

Seguindo a programação do Agosto Lilás, mês de conscientização e combate à violência contra a mulher, o Ministério Público de Rondônia realizou, na manhã desta quarta-feira (3/8), a Conferência Magna que marca os 16 anos da Lei Maria da Penha. O evento aberto ao público foi realizado no edifício-sede da Instituição e contou com a palestra da Promotora de Justiça do Estado do Paraná, Mariana Bazzo, que explanou sobre os crimes cometidos contra mulheres e a atualização no enfrentamento à violência doméstica.

Compuseram a mesa, o Procurador-Geral de Justiça em exercício, Eriberto Gomes Barroso, os Promotores de Justiça das Promotorias de Combate à Violência Doméstica e Familiar Héverton Alves de Aguiar, Flávia Barbosa Shimizu Mazzini e Lisandra Vanneska Monteiro Nascimento Santos, a Ouvidora do MPRO, Promotora de Justiça Andréa Luciana Damacena Ferreira Engel, o Diretor da Escola Superior do MPRO, Promotor de Justiça Marcelo Lima de Oliveira, a Defensora Pública do Estado de Rondônia, Sílvia Primila Garcia Raskovisch e a integrante do Levante Feminista contra o Feminicídio, Benedita Nascimento, que na ocasião representou a presidente do Fórum Popular de Mulheres, Ida Peréa.

Alusiva aos 16 anos de criação da Lei Maria da Penha, a palestra apresentou um resumo das mudanças da lei ao longo desses anos, período em que outras normas foram criadas a partir deste marco para punir os crimes de violência contra a mulher.

A Promotora de Justiça do Ministério Público do Paraná, Mariana Bazzo, destacou a importância de eventos como este para o enfrentamento à violência cometida contra as mulheres, a fim de que todos tenham conhecimento e possam combatê-la. A integrante do MPPR enalteceu a conduta do Ministério Público rondoniense nesta seara e elogiou as boas práticas adotadas na instituição, a exemplo da criação da Ouvidoria das Mulheres, canal especializado para atendimento humanizado de mulheres vítimas de violência, criada em abril do corrente ano.

Ao fazer o uso da palavra, o PGJ em exercício, Eriberto Barroso, refletiu a respeito da mínima participação dos homens em causas de enfrentamento à violência contra a mulher. “Este público deveria se fazer presente, já que são os maiores algozes da população feminina”, afirmou.

O Diretor do Centro de Apoio Operacional Unificado, Promotor de Justiça Héverton Aguiar, alertou para o número de mulheres vítimas de violência doméstica diariamente. “Infelizmente vivemos em uma realidade onde três em cada cinco mulheres são vítimas todos os dias. É preciso chamar a atenção da sociedade para esse grave problema que assola e adoece nosso país”, destacou.

Em sua fala, a Ouvidora do MPRO, Promotora de Justiça Andréa Damacena, falou sobre o mês referência de combate e enfrentamento à violência de gênero, Agosto Lilás, em que a Ouvidoria das Mulheres está realizando uma campanha de conscientização para estimular que as vítimas denunciem seus agressores, como forma de intensificar a divulgação da Lei Maria da Penha. “É tempo de sensibilizar e conscientizar a sociedade sobre essa luta diária e permanente contra a violência doméstica e familiar contra a mulher”, observou.

A representante do Levante Femininista, Benedita Nascimento, reforçou a importância da Lei Maria da Penha para garantir o direito à vida das mulheres e a importância de trazer à tona através da conferência a necessidade de apropriação e aprimoramento de ferramentas que promovam a efetividade da lei.

Também presente, a Defensora Pública de Rondônia, Sílvia Garcia destacou que a reflexão a respeito das causas que permeiam esse cenário são necessárias, e ainda, que deve haver a necessidade de um esforço conjunto no combate aos crimes de violência de gênero.

Evento – A conferência foi realizada pela Escola Superior do Ministério Público de Rondônia (ESMPRO), em parceira com o Centro de Apoio Operacional Unificado (CAOP UNI), 35ª, 36ª e 37ª Promotorias de Justiça de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra Mulher e Levante Feminista contra o Feminicídio.

Fonte MPRO/Gerência de Comunicação Integrada (GCI)