Eleições 2022: MPE está definindo a participação de Promotores Eleitorais auxiliares no pleito

HomeAMPRO

Eleições 2022: MPE está definindo a participação de Promotores Eleitorais auxiliares no pleito

A definição da participação dos promotores e juízes auxiliares no primeiro e segundo turno das eleições 2022 foi um dos assuntos pontuados numa reunião realizada nesta segunda-feira (5/9), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) nesta capital.

Lideranças do MP reúnem-se com presidente da comissão especial e relator da PEC 5
MPRO investe em ações de sustentabilidade e inicia implantação de sistema de energia solar em Promotorias de Justiça do interior
Membros do MPRO participam do XXIV Congresso Nacional do Ministério Público

A definição da participação dos promotores e juízes auxiliares no primeiro e segundo turno das eleições 2022 foi um dos assuntos pontuados numa reunião realizada nesta segunda-feira (5/9), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) nesta capital.

O Presidente do TRE, Desembargador Paulo Kiyochi Mori, recebeu os convidados. O Ministério Público de Rondônia foi representado pelos Coordenadores do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e do Núcleo de Apoio Eleitoral (NUAPE), respectivamente Procurador de Justiça Carlos Grott e Promotor de Justiça Glauco Maldonado Martins, bem como o Subcoordenador do GSI, Tenente Coronel Philippe Rodrigues Menezes.

Também esteve presente na reunião o Procurador Regional Eleitoral, Bruno de Almeida Chaves. Na ocasião, foram tratados assuntos relacionados à presença de juízes e promotores eleitorais em todos os municípios, com objetivo de fiscalizar os trabalhos durante o pleito, bem como a segurança das referidas autoridades.

Segundo o Coordenador do NUAPE, as conversas são necessárias para que haja planejamento dos recursos das instituições envolvidas, com fundamento maior no objetivo de uma eleição limpa e segura, de acordo com as determinações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “É um período de extrema atenção para todos os envolvidos nas eleições, o que justifica a importância desse diálogo entre as instituições ligadas ao processo”, concluiu o Promotor de Justiça.

Fonte: MPRO/Gerência de Comunicação Integrada (GCI)