Desocupação do Parque Estadual de Guajará-Mirim é discutida entre MP, órgãos ambientais e de segurança

HomeAMPRO

Desocupação do Parque Estadual de Guajará-Mirim é discutida entre MP, órgãos ambientais e de segurança

O cumprimento de ações de desocupação de áreas ambientalmente protegidas - em especial o Parque Estadual de Guajará-Mirim-, foi discutido por integrantes do Ministério Público de Rondônia e representantes de órgãos do Estado na última terça-feira (13/12), em reunião realizada no edifício-sede do MPRO, em Porto Velho.

16 dias de ativismo: MP obtém condenação de réu por tentativa de feminicídio em último Júri do ano
Ministério Público expede Recomendação para retorno das aulas de escolas rurais em Cacoal
Conselho Deliberativo planeja atividades para 2021

O cumprimento de ações de desocupação de áreas ambientalmente protegidas – em especial o Parque Estadual de Guajará-Mirim-, foi discutido por integrantes do Ministério Público de Rondônia e representantes de órgãos do Estado na última terça-feira (13/12), em reunião realizada no edifício-sede do MPRO, em Porto Velho. O encontro teve como objetivo traçar estratégias para uma atuação coordenada e conjunta na retirada de ocupantes das unidades de conservação, em atendimento a decisões já proferidas pelo Poder Judiciário.

A reunião teve a presença do Procurador de Justiça Héverton Alves de Aguiar (Coordenador da Força-Tarefa para Enfrentamento de Litígios Coletivos para a Posse de Terra Urbana e Rural) e dos Promotores de Justiça Yara Travalon Viscardi (integrante da Força-Tarefa) e Pablo Hernandez Viscardi (Coordenador do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente – GAEMA), além do titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Marcos Antônio Ribeiro de Menezes Lagos e representantes da Polícia Militar de Rondônia (PM/RO).

Durante as tratativas, os membros do MP fizeram uma exposição da situação geral do Estado no que se refere ao cumprimento de sentenças para a reintegração de posse de áreas protegidas.

Parque – Especificamente sobre o Parque Estadual de Guajará-Mirim, cuja determinação para desocupação foi proferida na Ação Civil Pública nº 002381-27.2020.8.22.0015, o grupo definiu detalhes operacionais e logísticos visando à execução da decisão judicial. Na ocasião, foi reiterado que o trabalho será realizado com a mais absoluta observância dos princípios previstos por lei.

A reunião no MPRO também teve a presença do Comandante do Batalhão da Patrulha Ambiental, Tenente Coronel Adenilson Silva Chagas; do Subcomandante do 6º Batalhão, Capitão Adriano Nogueira da Silva; do coordenador Regional de Policiamento, Tenente Coronel Robinson Brancalhão da Silva; do Tenente Coronel PM, Rachid Diniz Ferreira Sallé; do gerente de Unidade de Conservação da Sedam, Daniel França dos Santos; do Diretor Executivo Henriqui Charles Lopes; do Procurador Ambiental do Estado, Matheus Carvalho Dantas, além do servidor Marcos De Souza Trindade – da Coordenadoria de Proteção Ambiental.

Fonte: MPRO/Gerência de Comunicação Integrada (GCI)