HomeAMPRO

Ampro participa de roda de conversa “Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher”

O presidente da Associação do Ministério Público de Rondônia (Ampro), Alexandre Jésus Santiago, participou, na quinta-feira (7) do bate-papo “Homens

MPRO atua com PM, PRF e Conselho Tutelar para combater crimes e infrações contra Estatuto da Criança e do Adolescente em Ariquemes
Novo Procurador-Geral de Justiça faz visita institucional à ALE
GAESF registra recorde de valores recuperados para o Governo do Estado de Rondônia em 2021

(Foto: Ascom Ampro)

O presidente da Associação do Ministério Público de Rondônia (Ampro), Alexandre Jésus Santiago, participou, na quinta-feira (7) do bate-papo “Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher”. O evento, idealizado pela Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento (Seas), fez parte da programação mundial dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A promotora Tânia Garcia Santiago foi uma das mediadoras da roda de conversa.

O bate-papo também contou com a participação do secretário da Seas, Pedro José Alves Sanches; deputados estaduais eleitos: Eyder Brasil e Chiquinho; procurador chefe do Ministério Público Federal, Daniel Azevedo Lobo; presidente da Associação dos Procuradores do Estado de Rondônia (Aper-RO), Maxwuel Mota de Andrade; coronel da Polícia Militar Alex Diefenthaeler; e psicólogo do Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, Cristiano Corrêa de Paula.

O presidente da Ampro lembrou que a entidade e a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp) criaram recentemente suas comissões das Mulheres. “São formadas especialmente por mulheres para discutir, não apenas a figura das mulheres dentro da instituição, mas também como a instituição pode atuar de uma forma melhor no combate à violência contra mulher”, comentou Alexandre Jésus.

“Nós homens temos que ter consciência não apenas do nosso papel enquanto representante do estado, mas também nos colocando dentro da sociedade, porque nós somos integrantes dela. Como cidadãos nós temos que estar engajados em qualquer tipo de luta contra qualquer tipo de violência”, ressaltou o presidente da Ampro.