HomeAMPRO

Ampro parabeniza Ameron pelos 35 anos de fundação

A Associação dos Membros do Ministério Público (Ampro) parabeniza a Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron) pelos 35 anos, complet

Conamp participa de reunião na Casa Civil para discutir pedido de veto ao PL 7448/17
Ampro participa de entrega do Colar do Mérito Judiciário realizada ao presidente da AMB, Jayme de Oliveira, em Porto Velho
Promotor Victor Ramalho Monfredinho obtém decisão que obriga Energisa a fazer melhorias na prestação de serviços em Cerejeiras e região

A Associação dos Membros do Ministério Público (Ampro) parabeniza a Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron) pelos 35 anos, completados neste ano. A entidade foi fundada oficialmente no ano de 1983 e tem realizado diversas ações comemorativas. “Há 35 anos, a Ameron defende o judiciário, os magistrados e suas prerrogativas, fortalecendo o regime democrático e o Estado de direito”, destacou o presidente da Ampro, Alexandre Jésus Santiago.

A Ameron foi criada no dia 27 de julho de 1982. Contudo, foi no dia 18 de junho de 1983 que a instituição veio a ser instalada. Na época, 25 pioneiros magistrados que chegaram com a missão de levar cidadania ao recém-criado estado de Rondônia também foram os responsáveis por desbravar os caminhos associativos em busca de consolidar uma magistratura forte e independente.

Para o presidente Ameron, desembargador Alexandre Miguel, a instalação do Poder Judiciário representou o amparo jurídico e a segurança à cidadania aos rondonienses. “O juiz é o guardião da Justiça e reafirma essas incumbências com juramento sob a Carta Magna quando empossado. O magistrado tem o papel de vigilante às instituições democráticas e republicanas”, falou.

Lançamento do selo

Em comemoração aos 35 anos, a Ameron lançou, no mês passado, selo comemorativo, em Porto Velho. O evento contou com a participação da Ampro, que foi representada pelo vice-presidente, Carlos Grott. “Vejo essa boa relação entre a nossa associação e a dos magistrados como fundamental para o desenvolvimento do aparato da Justiça”, ressaltou Grott durante a solenidade.